Uma retroescavadeira chamada Teresa atropela adversários e elege pupilo para prefeitura (E agora José?)

Summary

Uma retroescavadeira chamada Teresa, trabalhando com potência máxima, estraçalhou o sonho dos adversários e elegeu seu pupilo Arthur Henrique (MDB) prefeito de Boa Vista, com a maior votação proporcional do Brasil. Arthur obteve quase 86% dos votos válidos na capital roraimense.Ottaci Nascimento (Solidariedade) teve quase 4 mil votos a mais do que no primeiro turno, ficando com 20.032 sufrágios neste segundo turno, ou 14,64% do total de votos válidos. Uma votação pífia. Nessa, o candidato do Solidariedade comeu poeira. Esta eleição, concluída no domingo (29 de novembro), mostrou para uns e outros que influência política não se compra com dinheiro, mesmo que sejam milhões. Influência política se conquista com trabalho e estratégia, mesmo que esse trabalho não agrade a todos. A vitória do candidato emedebista estava desenhada desde o primeiro turno. Fatores como o poder da máquina, o desejo de continuidade pela maioria, uma gestão com mais de 80% de aprovação e o domínio do marketing político, contaram muito a favor do pupilo de Teresa.Agora, só resta torcer e cobrar para que o futuro governo do vice que se tornou prefeito não repita um capítulo deprimente da história política de Boa Vista. Caberá a cada eleitor, aqueles que votaram e os que não votaram em Arthur cobrar para que Boa Vista continue linda de se ver e seja uma cidade igual para todos.Este é o tema deste episódio do Podcast Direto ao Ponto.

Send in a voice message: https://anchor.fm/luiz-valu00e9rio/message