Mecias de Jesus pede ampliação imediata da vacinação para estados da Região Norte

O senador Mecias de Jesus (Republicanos-RR) apresentou na quinta-feira (18 de fevereiro) uma indicação ao Ministério da Saúde, para que seja viabilizada a imediata ampliação da vacinação contra a Covid-19, em larga escala, nos estados do Amazonas, Roraima, Acre, Rondônia, Pará e Tocantins.

Entre os argumentos do parlamentar para a indicação está o fato de que a Região Norte, conforme dados do Ministério da Saúde, já apresenta quase 24 mil óbitos por Covid-19 e os serviços de saúde desses estados, sobretudo nas capitais, estão colapsando, devido ao crescimento vertiginoso do número de casos da doença e do aumento de hospitalizações.

“Em várias localidades, assistimos ao estado calamitoso de formação de filas para internação, em razão de o número de leitos disponíveis ser incompatível com a demanda. Há estados da região que se veem obrigados a transferir seus pacientes para outros entes federativos, devido à falta de capacidade de assistência hospitalar. Tudo isso, acompanhado da falta de equipamentos vitais, como no caso daqueles destinados à oxigenoterapia, o que já se tornou realidade na Região Norte”, alega o senador.

Mecias argumentou ainda que, em recente nota técnica publicada pela Instituto Leônidas e Maria Deane (ILMD), em conjunto com o Observatório Covid19, ambos da Fundação Oswaldo Cruz (FioCruz), concluiu que a epidemia no estado de Roraima e em suas fronteiras segue o seu curso, mantendo-se ativa a circulação viral em um importante percentual de população suscetível e que a vacina é um instrumento disponível para reduzir o número de infectados, a demanda por internação, bem como o número de óbitos.

“Com a vacinação em massa de 70% da população será possível criar uma barreira sanitária, evitando a propagação ou diminuindo, significativamente, o avanço dessa nova variante para o restante do Brasil, bem como reduzir a possibilidade de uma terceira onda da Covid-19”, aponta o parlamentar.

Por fim, o senador de Roraima ressalta que o Plano Nacional de Imunização do SUS na região amazônica, ou seja, praticamente em toda a Região Norte, deve levar em consideração a sazonalidade do período das chuvas, a disposição situacional da população ao longo dos rios e lagos e a resiliência dos serviços de saúde de atenção básica e de vigilância, para atuar de forma integrada.

“É urgente que seja realizada a imunização em massa nesses estados da Região Norte, ou seja, de 70% da população, haja vista a variante P.1 do novo coronavírus. Essa nova variante [cepa] é mais agressiva e três vezes mais contagiosa, causando centenas de óbitos diariamente e promovendo o colapso do sistema de saúde em várias cidades dos estados do Norte”, conclui Mecias.

Envie sua sugestão de pauta para o Blog 👉👉��👉 luiz.valerio.silva@gmail.com | (95) 99135-8757

Comente este post