Sesau desmente alegações usadas pela PMBV para suspender vacinação contra a Covid-19 na capital

Rebatendo as alegações da Prefeitura de Boa Vista, feitas na quarta-feira (21 de abril) de que iria suspender a aplicação da segunda dose da vacina contra a Covid-19 nas pessoas a partir de 65 anos devido ao não repasse dos imunizantes pelo governo, a Secretaria de Saúde de Roraima (Sesau) afirmou nesta quinta-feira (22) que a capital roraimense é o município que tem recebido o maior quantitativo, totalizando 63.259 doses desde o início da campanha. 

Conforme a Sesau, seguindo o planejamento elaborado de acordo com o Plano Nacional de Imunização (PNI), Boa Vista recebeu 7.700 doses da vacina CoronaVac, destinadas à administração da primeira dose e 4.700 vacinas CoronaVac, destinadas à aplicação da segunda dose, para vacinar todo o grupo prioritário de 65 a 69 anos.

A Sesau disse que, das 165.060 doses recebidas do Ministério da Saúde (MS), 143.901 doses já foram distribuídas para todos os municípios, o que representa mais de 87% do total recebido até agora.

“Esse repasse é resultado de uma avaliação técnica, com base na estimativa populacional do MS e temos seguido à risca todos as diretrizes estabelecidas pelo Plano Nacional nesse sentido, fazendo sempre a distribuição para que a imunização seja garantida, ou seja, repassando o quantitativo necessário para que a população-alvo seja imunizada”, esclareceu o secretário de saúde, Marcelo Lopes.

Lopes esclareceu que o quantitativo de doses aplicadas pelos municípios é acompanhado pelo Sistema de informação do Programa Nacional de Imunizações. O secretário disse que o sistema mostra que o município de Boa Vista aplicou 6.216 primeiras doses e 3.775 segundas doses com imunizantes do laboratório CoronaVac/Butantan, quantitativo inferior ao total de doses enviadas para este público. 

“O desabastecimento não foi provocado pelo quantitativo insuficiente de doses, conforme alegou a Prefeitura de Boa Vista nesta quarta-feira, 21”, disse o secretário.

A coordenadora geral de Vigilância em Saúde, Valdirene Oliveira, informou que as pautas de distribuição tem sido feitas semanalmente pela equipe técnica do PNI com todas as orientações para todos os municípios, inclusive sobre população prioritária, de acordo com os Planos Nacional e Estadual e a quantidade de pessoas conforme estimativa populacional.

“Esse processo é super importante, pois garante o abastecimento contínuo, como também as datas em que as vacinas precisam estar com os municípios e nas salas de vacinas para dar continuidade à vacinação, sendo elas primeira e segunda dose”, complementou a coordenadora.

Está gostando do nosso conteúdo? Compartilhe nas suas redes!

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on telegram
Telegram
Share on pinterest
Pinterest
LUIZ VALÉRIO
LUIZ VALÉRIO

Jornalista e Podcaster. Este Blog, que edito há 18 anos, é uma singela contribuição para a sociedade. É uma espécie de "jornal pessoal" por onde tento provocar o debate sobre assuntos inadiáveis para Roraima e para o Brasil. Também edito o Podcast Direto ao Ponto, que vai ao ar todas as semanas e você também pode ouvir aqui.

Todos os posts

Posts recentes: