Campanha de vacinação contra febre aftosa encerra em 30 de abril

Roraima está cada vez mais perto de alcançar o status de livre da febre aftosa sem vacinação. Mas para alcançar esse objetivo, todos os criadores de gado do Estado devem vacinar seu rebanho contra a doença. A 41ª campanha de vacinação contra a febre aftosa termina no dia 30 de abril.

A Agência de Defesa Agropecuária de Roraima (ADERR) alerta os produtores rurais para que fiquem atentos ao calendário de vacinação. O órgão diz ser preciso intensificar o trabalho com as vacinas dos animais para não perder o prazo. Quem deixar de vacinar pode ser multado. Nesta etapa, o pecuarista precisa vacinar todo o rebanho, independente da idade.

A declaração de notificação da vacina termina em 15 de maio, prazo que também é importante ser obedecido para evitar penalidades e contratempos desnecessários. 

O presidente da ADERR, Kelton Lopes, lembra que a vacinação do rebanho e a notificação são imprescindíveis para a manutenção de Roraima como área livre de febre aftosa e continuar evoluindo para a retirada futura da vacina.

“O produtor precisa agilizar a vacinação, pois o prazo final está se aproximando e não haverá prorrogação. Então, é importante que o produtor não deixe para a última hora para evitar imprevistos. Caso não vacine seu rebanho, será multado”, alertou.

Há vacinas disponíveis no mercado

O empresário Renato Lopes, proprietário de uma loja agropecuária local, informou que já foram vendidas mais de 200 mil doses e que há estoque suficiente para atender até o dia 30 de abril. “A maior procura foi nos primeiros 15 dias. Apesar das chuvas constantes nesse período, houve muita aquisição do produto”, disse. 

Os principais sintomas da febre aftosa são feridas na boca, nas tetas e no casco. Os animais doentes salivam em excesso e andam com dificuldade. Por não conseguir se alimentar, o gado contaminado apresenta enfraquecimento e perda de peso. 

Muitas doenças apresentam sintomatologia semelhante à febre aftosa, por isso, a notificação imediata desses sinais clínicos deve ser feita nas UDAs (Unidades de Defesa Agropecuária), que colherá material adequado para o diagnóstico em laboratório.

Em 1998, o Brasil recebeu o primeiro reconhecimento de zona livre de febre aftosa, obtido com a vacinação em massa nos estados do Rio Grande do Sul e de Santa Catarina. Roraima recebeu o reconhecimento internacional de área livre com vacinação em maio de 2018. O último caso de registro da doença ocorreu em 2001, no município de Caroebe.

Cuidados com o rebanho

– Comprar as vacinas somente em lojas registradas;

– Verificar se as vacinas estão na temperatura correta: entre 2°C e 8°C;

– Para transportá-las, usar uma caixa térmica, colocar três partes de gelo para uma de vacina e lacrar;

– Manter a vacina no gelo até o momento da aplicação;

– Escolher à hora mais fresca do dia e reunir o gado.

– Lembrar que deve ser vacinado todo o rebanho;

– Durante a vacinação, manter a seringa e as vacinas na caixa térmica e usar agulhas novas, de preferência do tamanho 15mm por 18mm, limpas;

– Lembrar que a higiene e a limpeza são fundamentais;

– Agitar o frasco antes de usar e aplicar a dosagem certa em todos os animais (2ml);

– Aplicar na tábua do pescoço, embaixo da pele, com calma;

– Preencher a declaração de vacinação e entregá-la nas UDAs e no EAC (Escritório de Atendimento à Comunidade), junto com a nota fiscal de compra da vacina.

Está gostando do nosso conteúdo? Compartilhe nas suas redes!

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on telegram
Telegram
Share on pinterest
Pinterest
LUIZ VALÉRIO
LUIZ VALÉRIO

Jornalista e Podcaster. Este Blog, que edito há 18 anos, é uma singela contribuição para a sociedade. É uma espécie de "jornal pessoal" por onde tento provocar o debate sobre assuntos inadiáveis para Roraima e para o Brasil. Também edito o Podcast Direto ao Ponto, que vai ao ar todas as semanas e você também pode ouvir aqui.

Todos os posts

Posts recentes: