Deputada Joenia relata gravidade dos ataques contra o povo indígena Yanomami

O ataque de garimpeiros contra o povo indígena Yanomami se agravou no fim de semana, inclusive no domingo à noite, conforme comunicado da Hutukara Associação Yanomami (HAY). A deputada Joenia Wapichana (REDE) reforçou a atenção para a gravidade dos ataques, durante sua fala na reunião da Comissão Constituição e Justiça e Cidadania (CCJ) da Câmara, na manhã de hoje.

Joenia reforçou na CCJ o apelo dos Yanomami. “Nós não podemos fechar os olhos para a gravidade que está acontecendo na Terra Indígena Yanomami, onde os indígenas estão pedindo para se manterem vivos. Sendo atacados por garimpeiros e isso tem sido feito constantemente, todos os dias, inclusive ontem à noite.  

Mulheres, crianças, estão com medo de qualquer outro ataque. Garimpo é ilegal. Infelizmente, encorajado por esse presidente que presta um desserviço à nação brasileira”, reforçou a parlamentar, pedindo atenção para a gravidade dos ataques conta o povo yanomami. 

Os garimpos ilegais têm causado devastação na Terra Indígena Yanomami

Hutukara reitera pedido de segurança aos Yanomami 

Reforçando o pedido da Hutukara, feito por ofício enviado nesta manhã às autoridades, a deputada Joenia também enviará ofício aos órgãos públicos solicitando ao Estado brasileiro medidas urgentes pela proteção e integridade física do povo indígena Yanomami. 

No ofício, a deputada pede a instalação de um posto avançado urgente na comunidade Palimiu, com o objetivo de manter a segurança o local e no rio Uraricoera. Pediu ainda que o Exército brasileiro, por meio da 1ª Brigada de Infantaria da Selva, promova apoio logístico imediato para ações dos demais órgãos públicos para garantir a manutenção da segurança no local.

No documento enviado às autoridades, a Hutukara Associação Yanomami relata os novos ataques ocorridos no dia 16. Segundo os indígenas, 15 barcos de garimpeiros se aproximaram contra a comunidade e dispararam tiros e lançaram bombas de gás lacrimogênio contra os indígenas. 

“Os Yanomami estavam muito aflitos, e gritavam de preocupação ao telefone. Ao fundo, era possível escutar o som dos tiros. A situação era grave”, relata a HAY sobre o mais recente ataque de garimpeiros na TI Yanomami. 

O documento foi enviado à Frente de Proteção Etnoambiental Yanomami (Funai), Superintendência da Polícia Federal em Roraima, 1ª Brigada de Infantaria da Selva do Exército e Ministério Público Federal (MPF). 

No ofício, a Hutukara solicita com urgência a instalação de um posto avançado emergencial na comunidade de Palimiu, com o objetivo manter a segurança no local e no rio Uraricoera. Também foi solicitado que o Exército brasileiro, por meio da 1ª Brigada de Infantaria da Selva, promova apoio logístico imediato para ações dos demais órgãos públicos para garantir a manutenção da segurança no local. 

Está gostando do nosso conteúdo? Compartilhe nas suas redes!

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on telegram
Telegram
Share on pinterest
Pinterest
LUIZ VALÉRIO
LUIZ VALÉRIO

Jornalista e Podcaster. Este Blog, que edito há 18 anos, é uma singela contribuição para a sociedade. É uma espécie de "jornal pessoal" por onde tento provocar o debate sobre assuntos inadiáveis para Roraima e para o Brasil. Também edito o Podcast Direto ao Ponto, que vai ao ar todas as semanas e você também pode ouvir aqui.

Todos os posts

Posts recentes: