Empresa que fornece alimentos para a Maternidade diz que denúncia sobre comida estragada é improcedente

 Empresa que fornece alimentos para a Maternidade diz que denúncia sobre comida estragada é improcedente

A direção da Maternidade Nossa Senhora de Nazareth afirma que a denúncia acerca do fornecimento de comida estragada na unidade é improcedente

Compartilhe nosso conteúdo!

A denúncia feita pela mulher de nome Grazy Maia ao Blog sobre o suposto fornecimento de comida estragada às mulheres que têm seus filhos no Hospital Materno Infantil Nossa Senhora de Nazareth, em Boa Vista, continua repercutindo. A direção da unidade hospitalar enviou à nossa Redação informações complementares segundo as quais a denúncia é improcedente.

Com base em uma Nota Técnica da empresa responsável pelo fornecimento das marmitas, a direção da Maternidade diz que aquilo que a denunciante Grazy Maia afirma ser um tapuru na carne servida é apenas “uma glândula uropigiana que faz parte da anatomia de todas as aves, com exceção das emas, portanto não é um parasita, como foi afirmado”.

Para chegar a essa conclusão foram analisados o vídeo e as fotos publicadas nas redes sociais por Grazy Maia, que fez a denúncia de extrema gravidade. A direção da Maternidade Nossa Senhora de Nazareth já havia se pronunciado sobre a denúncia no sábado (29).

“Essa estrutura encontrada na alimentação é apenas uma glândula responsável pela lubrificação das penas desses animais, ou seja, faz parte da anatomia da ave e o seu consumo não é prejudicial à saúde”, afirma a Nota Técnica encaminhada ao Blog.

As explicações enviadas à nossa Redação nesta manhã de domingo (30 de agosto), com base na Nota Técnica da empresa, asseguram que “as acusações da denunciante são totalmente improcedentes, como pode ser constatado e comprovado no site do Ministério da Saúde. Vale ressaltar que o referido site faz uma campanha de combate às fakes News”.

A empresa que presta serviço à Maternidade Nossa Senhora de Nazareth com o fornecimento da alimentação diz ainda que “as provisões alimentícias utilizadas por ela para produzir as refeições destinadas à unidade de saúde são originárias de empresas certificadas pelo Ministério da Agricultura e pela Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária), portanto atendem aos padrões da legislação”.

A nota enviada ao Blog esclarece que as refeições seguem um processo rigoroso de produção, conforme as normas sanitárias preconizadas na RDC 216/04, sempre alcançando resultados satisfatórios.

“Todo o preparo é acompanhado pelo setor de Nutrição, até a entrega final dos alimentos. A equipe faz a fiscalização, verificação e acompanhamento de todo o processo, para garantir a melhor qualidade possível”.

Leia mais sobre o assunto:

Envie sua sugestão de pauta para o Blog

Digiqole ad

Comments

0 comments

Luiz Valério

http://luizvalerioblog.wordpress.com

Sou Luiz Valério. Cearense nascido em Juazeiro do Norte, Região do Cariri (CE). Tenho formação em Letras, curso Comunicação Social e atuo como professor e jornalista há 24 anos. Sou Pós-graduado em Comunicação Social, Assessoria de Imprensa e Novas Tecnologias. Atualmente faço uma Pós-graduação em Marketing Digital. Mantenho este blog há 16 anos.

Leia mais conteúdo

Log In

Forgot password?

Forgot password?

Enter your account data and we will send you a link to reset your password.

Your password reset link appears to be invalid or expired.

Log in

Privacy Policy

Add to Collection

No Collections

Here you'll find all collections you've created before.