Empresários envolvidos no contrabando de ouro da Venezuela para o Brasil têm contas encerradas por b

A coluna Diário, da revista eletrônica Crusoé, da mesma equipe editorial que mantém o site O Antagonista, informa que as empresas de Roraima que estão envolvidas no comércio de alimentos com a ditadura de Nicolás Maduro e no contrabando de ouro tiveram suas contas encerradas pelos bancos, como é o caso do Bradesco.

De acordo com a coluna, os empresários que tiveram suas contas fechadas pediam empréstimos milionários para pagar pelo ouro contrabandeado do país vizinho.

Na edição do dia 31 de julho, Crusoé publicou em destaque uma ampla reportagem sobre o contrabando de ouro da Venezuela para o Brasil por meio da fronteira Santa Elena de Uairén/Pacaraima.

Conforme a revista, a intensa movimentação de caminhões carregados com mercadorias e gêneros alimentícios para abastecer o mercado venezuelano transformou a então pacata e tranquila cidade fronteiriça de Pacaraima no 17º maior posto alfandegário do Brasil.

Por lá, de janeiro a junho deste ano, passaram mais de 7.600 carregamentos, totalizando cerca de 1.270 declarações de exportação.

O problema, diz a publicação de repercussão nacional, está na forma de pagamento dos produtos exportados. Ele se acontece ilegalmente por meio de escambo feito com o ouro contrabandeado, que passa para o lado brasileiro sem a devida declaração às autoridades alfandegárias.

Esse mercado negro do outro já foi alvo de operações da Polícia Federal e resultou na prisão de empresários e caminhoneiros envolvidos no esquema.

Com o Bolívar com seu valor no rés do chão e sem dólares para transações de qualquer ordem, os venezuelanos acabam recorrendo ao escambo com o ouro. O preciso metal é extraído de forma ilegal e explora mão de obra barata em território venezuelano.

De acordo com a Crusoé, o esquema de contrabando de ouro conta com a participação de políticos venezuelanos, como é o caso de Justo Noguera, governador do Estado de Bolívar, que despacha com frequência de Santa Elena, ‘eleita’ a capital informal daquele estado. Completam o esquema empresários do ramo supermercadista de Roraima.

Leia a íntegra da matéria Ouro de sangue e da nota Empresários envolvidos em contrabando de ouro venezuelano têm contas encerradas na Coluna Diário

Envie sua sugestão de pauta para o Blog:

Conversar no WhatsApp

#ExportaçãodeMercadorias #MineraçãoIlegal #QuestõesFronteiriças #CrisenaVenezuela #Roraima #ContrabandodeOuro

Está gostando do nosso conteúdo? Compartilhe nas suas redes!

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on telegram
Telegram
Share on pinterest
Pinterest
LUIZ VALÉRIO
LUIZ VALÉRIO

Jornalista e Podcaster. Este Blog, que edito há 18 anos, é uma singela contribuição para a sociedade. É uma espécie de "jornal pessoal" por onde tento provocar o debate sobre assuntos inadiáveis para Roraima e para o Brasil. Também edito o Podcast Direto ao Ponto, que vai ao ar todas as semanas e você também pode ouvir aqui.

Todos os posts

Posts recentes: