Mais de 800 cidades deixaram de aplicar 2ª dose de vacina contra covid

vacina contra a covid
O estudo mostra que 869 municípios ficaram sem vacina para aplicação da segunda dose contra a covid-19

Uma pesquisa feita pela Confederação Nacional dos Municípios (CNM) aponta que mais de 800 cidades deixaram de aplicar a segunda dose da vacina contra a covid-19 dentro do prazo por falta de imunizante.

O estudo mostra que 869 municípios ficaram sem vacina para aplicação da segunda dose contra a covid-19 e 673 cidades também tiveram problemas para iniciar a aplicação da primeira dose em grupos prioritários.

Hoje no Brasil há três tipos de vacinas em circulação, cada uma com intervalo diferente para aplicação de doses.

Na Astrazeneca/Oxford são três meses de espera entre a primeira e segunda dose. Na Coronavac o intervalo é de 15 a 28 dias. A Pfizer pede 21 dias. Lembrando que esse último imunizante só chegou na quinta-feira (29) à noite no país e ainda vai ser distribuído às capitais.

Segundo a pesquisa da CNM, 119 municípios têm pacientes aguardando leito de Unidade de Terapia Intensiva nas Upas – Unidades de Pronto Atendimento. Em pelo menos 77 cidades há pacientes intubados nessas Upas. Na avaliação de Denilson Magalhães, consultor da área de Saúde da confederação, esses dados são preocupantes.

Outro ponto de alerta do estudo feito pela Confederação Nacional dos Municípios é em relação ao risco iminente de faltar medicamentos do chamado “kit intubação”.

O estudo mostra que essa ainda é uma preocupação para 641 cidades brasileiras. A previsão, segundo o levantamento, é que a falta de oxigênio pode atingir 223 municípios. Em março, esse número foi ainda maior: 709.

Com informações da Agência Brasil

Imagem de Ali Raza por Pixabay

Está gostando do nosso conteúdo? Compartilhe nas suas redes!

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on telegram
Telegram
Share on pinterest
Pinterest
LUIZ VALÉRIO
LUIZ VALÉRIO

Jornalista e Podcaster. Este Blog, que edito há 18 anos, é uma singela contribuição para a sociedade. É uma espécie de "jornal pessoal" por onde tento provocar o debate sobre assuntos inadiáveis para Roraima e para o Brasil. Também edito o Podcast Direto ao Ponto, que vai ao ar todas as semanas e você também pode ouvir aqui.

Todos os posts

Posts recentes: