domingo , fevereiro 16 2020
ministro-da-justica-sergio-moro-blog-do-luiz-valerio
Início / Blog do Luiz Valério / Moro compara Jalser Renier a Eduardo Cunha como modelo de político corrupto que não deve prosperar

Moro compara Jalser Renier a Eduardo Cunha como modelo de político corrupto que não deve prosperar

Num discurso em defesa do combate sistemático e eficaz à corrupção, ao crime organizado e aos crimes violentos, o ministro da Justiça e Segurança Pública Sergio Moro citou o presidente da Assembleia Legislativa de Roraima, deputado Jalser Renier (Solidariedade), como um político sobre o qual recaem suspeitas muito graves.

Sem citar o nome do parlamentar roraimense, Moro comparou Jalser ao ex-presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha, como um modelo de político corrupto que deve ser combatido e afastado do cargo. Para tanto, fez uma retrospectiva da Operação Lava Jato.

Moro iniciou sua fala dizendo que tinha preparado um outro discurso, mais condizente com o clima festivo de aniversário do Ministério Público de Roraima, mas decidiu mudar sua fala e fazer um resumo histórico da Lava Jato, força-tarefa de combate à corrupção no Brasil iniciada em março de 2014. Moro usaria o exemplo nacional para chegar a o caso específico de Roraima.

O ministro afirmou que quando a Lava Jato começou, ele não imaginava que a força-tarefa atingiria a magnitude e proporção que tomou, com tantos atores políticos envolvidos em esquemas de corrupção. Moro citou o ex-presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha, como uma das figuras nefastas da política Brasileira alcançadas pela Lava Jato, que usava seu poder para corromper e intimidar outras instituições.

O ministro da Justiça lembrou que, não obstante seu poder, Cunha foi afastado do cargo, por decisão corajosa do saudoso ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Teori Zavascki, e depois teve o mandato cassado, foi preso e cumpre pena até hoje.

“Não tem condições de se manter num cargo público alguém com um rasto de corrupção”, disse Moro se referindo a Cunha, a quem chamou de “indivíduo” por pelo menos três vezes. Moro afirmou que o exemplo da Lava Jato mostrou que é possível enfrentar os fantasmas da corrupção, do crime organizado e dos crimes violentos no Brasil.

“Não era bem isso que eu pretendia falar hoje. Mas eu enveredei por essa história envolvendo o ex-presidente da Câmara [Eduardo Cunha] para dizer que essa história seria uma história extremamente pertinente num estado no qual, e aqui com todo respeito, recaem suspeitas tão graves em relação ao presidente da Assembleia Legislativa”, completou.

O discurso de Sérgio Moro foi ovacionado de pé por todas as autoridades e convidados que lotavam o auditório do Teatro Municipal de Boa Vista.

Em suma, Moro usou o exemplo de Cunha como grande corrupto para fazer uma analogia com a situação doméstica de Roraima, que tem o presidente da Assembleia apontado como cabeça de diversos esquemas de desvio de recursos do Poder Legislativo e de uso do seu poder para intimidar outras pessoas e instituições locais.

Leave your vote

1 Review

Gomes
1

Janete

Pois, que vergonha para nós, roraimenses e roraimados! Vergonha alheia desse Judiciário local que não toma uma posição honesta, que é esperada pela maioria do povo de Roraima...

Write a Review

Comments

0 comments

Sobre Luiz Valério

Sou Luiz Valério. Cearense nascido em Juazeiro do Norte, no Cariri cearense. Tenho formação em Letras, curso Comunicação Social e atuo como professor e jornalista há 24 anos. Sou Pós-graduado em Comunicação Social, Assessoria de Imprensa e Novas Tecnologias. Atualmente faço uma Pós-graduação em Marketing Digital. Mantenho este blog há 16 anos.

Confira também

ex-senador-romero-juca

Jucá queria R$ 257 milhões para reforma do Canarinho, deixou obra parar por dez anos e agora quer ser o ‘pai da criança’

O velho e esperto ex-senador Romero Jucá (MDB) não se emenda nunca. Agora que o Estádio Flamarion Vasconcelos (Canarinho) está pronto para ser entregue à população, depois de passar dez anos fechado para uma reforma que não terminava nunca, o político que passou anos se vendendo como o senador mais influente do Brasil, mas nunca resolveu, efetivamente, nenhum dos problemas mais urgentes de Roraima, agora aparace querendo ser “pai o da criança”. Num vídeo postado nas redes sociais, Jucá tenta convencer os incautos de que a obra será inaugurada agora graças à seu esforço. Pura balela.

Log In

Forgot password?

Forgot password?

Enter your account data and we will send you a link to reset your password.

Your password reset link appears to be invalid or expired.

Log in

Privacy Policy

Add to Collection

No Collections

Here you'll find all collections you've created before.

Send this to a friend