Procura por Certificação Fitossanitária registra aumento 40% em Roraima

Roraima se prepara para bater este ano recorde de exportação de frutas para o Estado vizinho, gerando empregos e renda
Roraima se prepara para bater este ano recorde de exportação de frutas para o Estado vizinho, gerando empregos e renda

A procura pela CFO (Certificação Fitossanitária de Origem) tem sido grande em Roraima, pois o documento garante o acesso da produção de frutas ao mercado amazonense. Os fruticultores de Rorainópolis (sul do Estado), atentos à crescente demanda de frutas pelo Amazonas, aumentaram a procura do documento em 40%, a fim de escoar com segurança os seus produtos.

Para exportar a produção, é necessário a emissão da CFO, documento que atesta a sanidade das frutas, assegurando que não há ataque de pragas quarentenárias ou da mosca da carambola. De posse do documento, o produtor vai até a Aderr (Agência de Defesa Agropecuária de Roraima) para emitir a PTV (Permissão de Trânsito de Vegetais) e, a partir daí, está com a produção pronta para ser transportada.

Com o aumento da produção de frutas cítricas, como limão tahiti e principalmente uma maior safra de laranja, Roraima se prepara para bater este ano recorde de exportação de frutas para o Estado vizinho, gerando empregos e renda e aquecendo a economia local, apesar da pandemia.

Conforme o gerente de Defesa Vegetal da Aderr, Marcos Prill, com o período de chuvas melhor distribuídas entre a safra 2020/2021, a frutificação e a colheita de laranja devem se prolongar este ano.

Segundo o presidente da Aderr, Kelton Oliveira, os RTs (responsáveis técnicos) fazem todo o acompanhamento das propriedades produtoras. “A Aderr continua realizando o acompanhamento dessas propriedades que, juntamente com os responsáveis técnicos dos produtores, realizam todos os registros e monitoramento das Unidades de Produção [UP]”, ressaltou.

Com esse trabalho entre os fiscais da Aderr e os RTs, a agência vem cumprindo os prazos de monitoramento previstos na legislação em vigor, assegurando a certeza de produtos livres de pragas, bons para o consumo e para a exportação.

COMO EMITIR A CFO – De acordo com o chefe do Núcleo de Certificação Fitossanitária de Origem, para tirar a CFO, produtores que trabalham com frutas hospedeiras da mosca da carambola (que são atacadas por pragas quarentenárias, como cancro cítrico e ácaro hindustânico), devem procurar o RT habilitado pela Aderr para cumprir as exigências legais.

O RT, que é um engenheiro agrônomo, vai vistoriar as lavouras e, não constatando a presença de pragas, emitirá a CFO. Hoje, Roraima conta com 79 UPs e sete Unidades de Consolidação.

Está gostando do nosso conteúdo? Compartilhe nas suas redes!

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on telegram
Telegram
Share on pinterest
Pinterest
LUIZ VALÉRIO
LUIZ VALÉRIO

Jornalista e Podcaster. Este Blog, que edito há 18 anos, é uma singela contribuição para a sociedade. É uma espécie de "jornal pessoal" por onde tento provocar o debate sobre assuntos inadiáveis para Roraima e para o Brasil. Também edito o Podcast Direto ao Ponto, que vai ao ar todas as semanas e você também pode ouvir aqui.

Todos os posts

Posts recentes: