Profissionais de saúde terão reajuste de 43% com PCCR Unificado

Documento foi construído de forma colaborativa entre trabalhadores e governo e agora deve tramitar em regime de urgência na Assembleia Legislativa

A elaboração consensual de um Plano de Cargos, Carreiras e Remuneração (PCCR) para os trabalhadores da Saúde, que contemple interesses desde a classe médica até os auxiliares de enfermagem – algo que parecia impossível outrora – está se concretizando em Roraima. O governador Antonio Denarium (sem partido) anunciou na tarde desta sexta-feira (26 de fevereiro), em entrevista coletiva, a conclusão do PCCR Unificado dos servidores do setor. O plano garante 43% de reajuste salarial para todas as categorias.

Representantes das entidades que congregam todas as categorias de trabalhadores da Saúde participaram do ato, no Salão Nobre do Palácio do Governo. De acordo com Denarium, o PCCR Unificado faz a recomposição da inflação, cerca de 27,5%. O restante do reajuste é um compromisso assumido pela atual gestão em melhorar as condições de trabalho e de vida dos profissionais da saúde.

Denarium disse que durante todo o ano passado foi feito um trabalho com o objetivo de construir um único PCCR de modo a atender a expectativa de cada uma das categorias dos trabalhadores da Saúde nessa Lei. “Nosso objetivo é corrigir todas as injustiças e realizar a correção salarial de todos os servidores da saúde. Precisamos valorizar os nossos profissionais, vencendo as dificuldades e avançando ainda mais, sempre com muito respeito aos nossos servidores”, frisou o governador.

‘Não tem mais o que discutir. É só correr para o gol’, diz Sampaio

O PCCR foi apresentado por Antônio Denarium e o secretário de Saúde, Marcelo Lopes, ao presidente da Assembleia Legislativa, deputado Soldado Sampaio, e também ao presidente da Comissão de Saúde do Poder Legislativo, deputado Neto Loureiro, além de outros parlamentares.

Sampaio disse que, como se trata de um documento amplamente discutido e que satisfaz as expectativas dos trabalhadores da Saúde, caberá à Assembleia Legislativa basicamente “chutar para o gol”, ou seja, analisar de forma célere e aprovar o projeto, uma vez que ele nasce do consenso entre os trabalhadores e a administração estadual. “Não há mais o que discutir”, sentenciou.

O parlamentar ressaltou que sempre atuou na intermediação entre as categorias e o governo, seja como parlamentar ou como secretário-chefe da Casa Civil, cargo que ocupou até bem pouco tempo atrás.

“Sempre buscamos o diálogo democrático e hoje sempre que possível contribuímos para a construção deste PCCR. Como presidente da Assembleia, quero dizer que os servidores terão todo o apoio da Casa. Faremos a discussão em regime de urgência e queremos que esse debate salutar encerre com uma grande festa entre os trabalhadores”, disse.

Reajuste escalonado para categorias

O pagamento do reajuste de 43% será feito de forma escalonada, em três parcelas, para os cargos de nível superior, e em duas parcelas para os cargos de nível médio e básico. Marcelo Lopes afirmou que o atual governo se manteve aberto ao diálogo para chegar a um consenso com os trabalhadores, coisa que outros governadores não fizeram. Denarium, disse ele, sempre esteve pronto para ouvir os pontos divergentes e acompanhar cada reunião.

“O PCCR apresentado hoje é o resultado de uma conversa ampla com todas as categorias sobre as propostas de todos, desde o início, sempre com muito diálogo, e assim tomamos as medidas necessárias para contribuir com o avanço da saúde de Roraima”, complementou.

Conforme o secretário de Saúde, o projeto de lei passou pela avaliação do Conselho Estadual para a conclusão dos ajustes referentes às mudanças necessárias nos percentuais.

“Tínhamos o desafio de construir um PCCR único e depois de muitas discussões sobre as melhorias foram sendo realizadas de forma equilibrada e imparcial levando em consideração todos os interesses e entendimento das categorias e vamos trabalhar ainda mais nas particularidades, mas sempre de forma aberta e harmoniosa para atender as demandas dos servidores de saúde”, enfatizou.

Bom, mas nem tanto, segundo Melquisedeck

Questionado sobre se o PCCR Unificado contempla e satisfaz a todos os trabalhadores, Melquisedek Menezes, representante da classe de enfermagem, disse que não. Os técnicos de enfermagem, segundo ele, não ficaram de todo satisfeitos. Mas Menezes reconhece que PCCR Unificado é um avanço para as diversas categorias de servidores.

“A vida funcional de muitos trabalhadores [da saúde] estava parada e muitos só tiveram seus direitos reconhecidos agora com esse PCCR construindo pelo Governo de Roraima. A atual gestão tem corrigido essa lacuna, reafirmando o comprometimento com o trabalho realizado por estes trabalhadores”, disse.

Envie sua sugestão de pauta para o Blog luiz.valerio.silva@gmail.com | WhatsApp (95) 99135-8957

Está gostando do nosso conteúdo? Compartilhe nas suas redes!

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on telegram
Telegram
Share on pinterest
Pinterest
LUIZ VALÉRIO
LUIZ VALÉRIO

Jornalista e Podcaster. Este Blog, que edito há 18 anos, é uma singela contribuição para a sociedade. É uma espécie de "jornal pessoal" por onde tento provocar o debate sobre assuntos inadiáveis para Roraima e para o Brasil. Também edito o Podcast Direto ao Ponto, que vai ao ar todas as semanas e você também pode ouvir aqui.

Todos os posts

Posts recentes: