sábado , janeiro 25 2020
Início / Boa Vista / Teresa veta projeto que fixava percentual obrigatório de 50% de atendimento para brasileiros em UBS
teresa-surita-prefeita-de-boa-vista
Teresa Surita disse que o atendimento nos serviços públicos deve ser igualitário para todos, independente da nacionalidade

Teresa veta projeto que fixava percentual obrigatório de 50% de atendimento para brasileiros em UBS

A prefeita de Boa Vista, Teresa Surita (MDB), vetou o projeto que limita o atendimento a pessoas venezuelanas nas Unidades Básicas de Saúde (UBS) da capital e institui um percentual obrigatório de atendimento de 50% para brasileiros.

Ao justificar seu veto, Teresa disse que “o atendimento é igualitário a TODOS nos serviços públicos do município, independente da nacionalidade ou de qualquer outra situação”.

Teresa Justificou que não pode haver discriminação de estrangeiros no atendimento nos postos de saúde da capital

O projeto de lei vetado por Teresa é de autoria do vereador Júlio Cezar de Medeiros (Podemos), que diante das queixas de brasileiros de que não encontravam vagas nos postos de saúde de Boa Vista, quis fixar um percentual obrigatório de 50% para atendimento de brasileiros nos postos de saúde da capital.

O projeto tinha vício de inconstitucionalidade, mas, mesmo assim, foi aprovado por todos os vereadores. Agora a matéria recebeu veto da prefeita.

Foto: UOL

0 Reviews

Write a Review

Sobre Luiz Valério

Sou Luiz Valério. Cearense nascido em Juazeiro do Norte, no Cariri cearense. Tenho formação em Letras, curso Comunicação Social e atuo como professor e jornalista há 24 anos. Sou Pós-graduado em Comunicação Social, Assessoria de Imprensa e Novas Tecnologias. Atualmente faço uma Pós-graduação em Marketing Digital. Mantenho este blog há 16 anos.

Confira também

5.-Vereador-presidente-Mauricélio-Fernandes-durante-a-sessão-itinerante-Foto-Luan-Soares-Secom-CMBV

Mauricélio contraria Teresa e promulga projeto inconstitucional

O presidente da Câmara Municipal de Boa Vista, vereador Mauricélio Fernandes (MDB), promulgou a lei aprovada pela Casa e vetada pela prefeita Teresa Surita (MDB), que obriga o Município a reservar 50% das vagas nos postos de saúde da Capital para atendimento a brasileiros.