TJRR inaugura Laboratório de Inovação e Inteligência

Com o objetivo de construir de forma criativa e eficiente soluções para o atingimento de metas e para resolução de demandas apresentadas pela sociedade, foi inaugurado nesta terça-feira (15 de dezembro) o Laboratório de Inovação e Inteligência do Poder Judiciário de Roraima (Inovajurr).

O novo ambiente, projetado para oferecer todas as condições para que equipes de profissionais do judiciário possam criar e inovar, funcionará na Sede Administrativa do TJRR (Tribunal de Justiça de Roraima), edifício Luiz Rosalvo Indrusiak Fin.

A iniciativa segue a pauta global da Agenda 2030 da Organização das Nações Unidas (ONU), que é fortalecer a paz universal com mais liberdade. A instituição dos laboratórios nos tribunais de todo país segue as diretrizes da Portaria de número 119/2019 do CNJ (Conselho Nacional de Justiça).

O Inovajurr é um programa que une conhecimento institucional, inovação e a cooperação em um espaço de diálogo e articulação. O presidente do TJRR, desembargador Mozarildo Cavalcanti, acredita que esta novidade deverá proporcionar ainda mais rapidez na atuação do Poder Judiciário de Roraima, alinhada com o desenvolvimento sustentável, com o apoio total da tecnologia.

“Hoje estamos concretizando em um espaço físico a inovação. Muitos dos êxitos que o tribunal teve nesses últimos dois anos decorrem da inovação adotada por magistrados, servidores e pelas unidades de direção do tribunal. O espaço segue tendência moderna no ambiente corporativo, que é a busca por soluções inovadoras para as demandas recebidas”, explicou.

A estratégia de unir a criatividade e promover a produtividade é considerada inovadora e eficiente institucionalmente. É como se fosse, segundo a secretária de Gestão Estratégica do TJRR, Inaiara Sá, uma sala para solucionar demandas da sociedade de forma simples e rápida.

“O tribunal evoluiu muito na tecnologia e inovação. O Inovajurr busca aproximar o Poder Judiciário da sociedade. O laboratório foi criado para isso, para que a gente consiga, num espaço informal de conversa e de pensamento livre, trazer soluções mais úteis para nossa população”, destacou.

Compete aos laboratórios de Inovação

– Monitorar e promover a gestão judicial processual e administrativa dos dados da Agenda 2030;

– Elaborar e implementar plano de ação com soluções conjuntas e pacíficas voltadas à melhoria da gestão pública, visando evitar judicialização excessiva; e outras agendas de interesse global;

– Dialogar com a Rede de Governança Colaborativa do Poder Judiciário quando necessário para a difusão da Agenda;

– Mapear os programas e projetos desenvolvidos pelas redes de inovação dentro do Judiciário ligados à pauta global da Agenda 2030;

– Estabelecer conexões entre os Laboratórios de Inovação e os Centros de Inteligência judiciários para o desenvolvimento de projetos conjuntos dentro da Agenda;

-Incentivar pesquisas, artigos e estudos sobre os ODS no Poder Judiciário;

– Abrir espaço para a participação cidadã na concepção de projetos inovadores no Poder Judiciário que contribuam para a efetividade da Agenda 2030;

– Apoiar os órgãos do CNJ na busca de soluções para problemas complexos, tomando por base metodologias de inovação e inteligência que considerem a empatia, colaboração interinstitucional e a experimentação.

#JustiçaemRoraima #PoderJudiciário #LaboratóriodeInovação #Roraima #InovaçãoeTecnologia

Está gostando do nosso conteúdo? Compartilhe nas suas redes!

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on telegram
Telegram
Share on pinterest
Pinterest
LUIZ VALÉRIO
LUIZ VALÉRIO

Jornalista e Podcaster. Este Blog, que edito há 18 anos, é uma singela contribuição para a sociedade. É uma espécie de "jornal pessoal" por onde tento provocar o debate sobre assuntos inadiáveis para Roraima e para o Brasil. Também edito o Podcast Direto ao Ponto, que vai ao ar todas as semanas e você também pode ouvir aqui.

Todos os posts

Posts recentes: