Vavá do Tianguá afirma não ter nada a ver com arma encontrada na casa de Klebinho

Tão logo leu a matéria do Blog sobre o depoimento de Kleber Siqueira (Solidariedade) em que o parlamentar afirma em depoimento à Polícia Federal que a arma encontrada em sua casa pertence ao colega de Câmara, Vavá do Tianguá, o vereador citado na oitiva de Klebinho entrou em contato com o blog para esclarecer que não tem nada a ver com a pistola calibre 380 cuja propriedade lhe foi atribuída.

“Eu não tenho nada a ver com essa arma. Minha arma sou eu mesmo“, disse o parlamentar. Segundo Vavá do Tianguá, ele participou de uma festinha na noite da quinta-feira (15 de abril), na casa de Kleber Siqueira, onde também estavam quatro policiais militares que ele não conhece bem. Klebinho juntou os amigo, entre eles Vavá, para assistir ao jogo Flamengo 1 x 3 Vasco.

Em seu depoimento, Klebinho diz à PF que a confraternização aconteceu na quarta-feira (14). Há um ponto de discordância nas falas do parlamentar e de seu colega de Casa em relação à data em que a arma teria sido deixada na casa do parlamentar.

Um desses policiais, já sob efeito de bebida, teria peido para deixar a armar na casa do vereador, pois não queria sair armado por aí sob efeito de álcool. A pistola teria sido, então, guardada por uma pessoa da casa em lugar seguro. “Não sei porque ele [Klebinho] citou meu nome. Talvez tenha ficado desorientado com a situação”, disse Vavá do Tianguá. Não tenho nada a ver com essa arma”, frisou.

Entenda o caso

O vereador Kleber Siqueira foi preso em flagrante na manhã de ontem por posse ilegal de uma arma de fogo encontrada na sua residência durante Operação Dejavu, da Polícia Federal. A reportagem do Blog flagrou duas viaturas da PF na casa do parlamentar por volta das 6h10 da manhã desta sexta-feira. Uma viatura também foi fotografada na Câmara Municipal de Boa Vista, onde agente cumpriram mandado de busca e apreensão no gabinete do parlamentar.

João Kleber Siqueira, que era empresário antes de ser vereador, já é réu por lavagem de dinheiro e organização criminosa em uma investigação sobre desvio milionário no fornecimento de quentinhas no sistema penitenciário. O deputado estadual Renan Filho (PRB), o filho da ex-governadora de Roraima Suelly Campos (PP), Guilherme Campos, e outros nove também são réus pelo esquema.

Está gostando do nosso conteúdo? Compartilhe nas suas redes!

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on telegram
Telegram
Share on pinterest
Pinterest
LUIZ VALÉRIO
LUIZ VALÉRIO

Jornalista e Podcaster. Este Blog, que edito há 18 anos, é uma singela contribuição para a sociedade. É uma espécie de "jornal pessoal" por onde tento provocar o debate sobre assuntos inadiáveis para Roraima e para o Brasil. Também edito o Podcast Direto ao Ponto, que vai ao ar todas as semanas e você também pode ouvir aqui.

Todos os posts

Posts recentes: