VOTAÇÃO DO ORÇAMENTO: Clima é tenso entre Prefeitura e Câmara de Boa Vista

A sessão extraordinária da Câmara Municipal de Boa Vista, marcada para esta segunda-feira (18 de janeiro), deve acontecer em meio as divergências existentes entre os vereadores e o prefeito Arthur Henrique (MDB) quanto às emendas apresentadas pelos parlamentares ao projeto de Lei Orçamentária Anual de 2021 (LOA).

Nos grupos de WhastApp e redes sociais, pessoas se mobilizam para comparecer à Câmara de Vereadores com o objetivo de acompanhar a votação do Orçamento e pressionar para que o projeto do Executivo seja aprovado sem os cortes sinalizados. “[Os vereadores]Aumentam 9 milhões para salários e verba de gabinetes, fora da Constituição”, diz um dos organizadores do movimento, chamando para um buzinaço.

O relator do Orçamento, Dr. Ilderson Pereira (PTB), apresentou sete emendas ao projeto Orçamentário de 2021, sendo uma supressiva e seis modificativas. A questão é que uma dessas emendas destina R$ 10 milhões para a própria Câmara Municipal.

Num vídeo repassado para a imprensa, o prefeito Arthur Henrique acusa os vereadores de retirarem dinheiros de áreas importantes da administração, como a de serviços públicos e ainda cultura, esporte, lazer e turismo. Conforme o gestor, os cortes propostos vão resultar na incapacidade de investimento pela prefeitura nestes setores.

Arthur diz ainda esperar que a marcação de uma sessão extraordinária para esta segunda-feira não seja uma tentativa de manobra e afirma esperar que os vereadores estejam com o mesmo sentimento da população, que é ver Boa Vista evoluindo e levando qualidade de vida para seus moradores.

“Os vereadores fazem cortes grandes no orçamento. Assim não teremos como contratar artistas locais como fizemos durante a pandemia e nem como continuar com a escolinha da Vila Olímpica. Os cortes também prejudicarão o Instituto Boa Vista de Música e os serviços públicos como a varrição das ruas, a manutenção das praças e a limpeza do sistema de drenagem, o que incide diretamente sobre a qualidade de vida da população”, diz Arthur.

Ao justificar o teor das emendas que apresentou, Dr. Ilderson afirma que foram reduzidos mais de R$ 4 milhões da área da saúde, enquanto a Secretaria de Comunicação do Município teria um montante de R$ 17,5 milhões à sua disposição.

“Sabemos que existem ruas e avenidas da cidade sendo recapeadas várias vezes, enquanto em outros bairros as máquinas nunca passaram, e a justificativa da Prefeitura é de que não há saneamento, mas na LOA foi reduzido 66% dos investimentos para saneamento em 2021”, pontua.

Está gostando do nosso conteúdo? Compartilhe nas suas redes!

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on telegram
Telegram
Share on pinterest
Pinterest
LUIZ VALÉRIO
LUIZ VALÉRIO

Jornalista e Podcaster. Este Blog, que edito há 18 anos, é uma singela contribuição para a sociedade. É uma espécie de "jornal pessoal" por onde tento provocar o debate sobre assuntos inadiáveis para Roraima e para o Brasil. Também edito o Podcast Direto ao Ponto, que vai ao ar todas as semanas e você também pode ouvir aqui.

Todos os posts

Posts recentes: