Yonny Pedroso, a deputada que se considera ‘Top 10’ e “boa de mais”, quer censurar a imprensa

 Yonny Pedroso, a deputada que se considera ‘Top 10’ e “boa de mais”, quer censurar a imprensa

Incomodada com a repercussão das matérias que revelam suas peripécias políticas e participação em esquemas, Yonny Pedroso quer censurar a imprensa e reivindica o direito ao esquecimento

Compartilhe nosso conteúdo!

A deputada Yonny Pedroso (SD), investigada na Operação Zaragata por suspeita de integrar organização que desviou recursos do transporte escolar em Roraima, acionou a Justiça para retirar conteúdos de portais de notícias que veicularam o envolvimento dela.

O documento obtido com exclusividade pelo Roraima em Tempo mostra que a parlamentar acusa a imprensa nacional e roraimense de ser “sensacionalista”, por noticiar a desarticulação do esquema, em dezembro de 2018.

Segundo a Polícia Federal (PF), foram desviados cerca de R$ 50 milhões da Secretaria de Educação e Desporto (Seed), para beneficiar a campanha de Yonny ao cargo na Assembleia Legislativa. Ele foi eleita com 5.872 votos, a terceira mais bem votada.

Para a deputada, os conteúdos publicados causaram e ainda causam humilhação e situação embaraçosa e vexatória para ela. “A remoção do conteúdo publicado é sumariamente desatendida, gerando ainda mais notícias sobre um assunto que deve ser esquecido”, escreveu.

Foi apresentada à Justiça uma lista com 34 links de notícias jornalísticas publicadas sobre a prisão da deputada, os desdobramentos da operação policial e a cassação do mandato dela em abril deste ano.

Entre os veículos de comunicação que podem ter os endereços eletrônicos removidos estão:

  • Roraima em Tempo
  • G1 RR
  • Blog do Expedito Peronnico
  • Empresa Brasil de Comunicação (EBC)
  • Roraima Hoje
  • Roraima 1
  • Estado de São Paulo
  • Ministério Público Federal (MPF)
  • Tribunal Regional Eleitoral (TRE-RR).

Diante de um cenário de falsas informações e acusações, está sendo vítima de brutal propagação de inverdades e notícias sem fundamento e veracidade, e diante de todas as informações que foram expostas referentes à sua honra e reputação sofre em demasia com a propagação destas”, assegurou a defesa.

Yonny reivindica direito ao esquecimento

Como justificativa, a parlamentar afirmou que tem direito ao esquecimento pelo desejo de que qualquer fato relacionado à corrupção ou desvio de dinheiro seja apagado, uma vez que ainda não houve condenação. O processo tramita na Justiça Federal de Roraima.

Esse direito, de acordo com ela, estaria resguardado por ser figura pública e as notícias prejudicam a função de deputada. “O efeito em sua vida foi devastador. Jornalistas e pessoas que se dizem jornalistas aproveitam de notícias antigas para requentar matérias quando não mais possuem assuntos a publicarem, ferindo o princípio constitucional da presunção da inocência”, disse.

“Como mensurar o dano de reportagens em que a situação publicada é mentira e desabona a conduta de uma profissional ilibada? O prejuízo já foi causado de forma irreversível, devendo, portanto, qualquer vinculação as referidas notícias serem apagadas, pois ferem ferozmente a honra e a dignidade da autora”, argumentou.

Ela quer ter ditar o que a imprensa pode publicar

Yonny garantiu que a imprensa não tem autorização para usar imagem nas notícias, mesmo sendo deputada. Com isso, pediu ainda que o processo para remoção dos conteúdos tramitasse em sigilo, pois não caracteriza interesse público.

“A autora é uma pessoa pública, que questiona condutas abusivas e ilícitas de políticos, administradores, empresários e precisa manter o seu bom nome, integridade, comprometimento profissional e ética, portanto a veiculação das referidas notícias falsas causa prejuízo irreparável e estas vêm sendo utilizadas para denegrir a imagem profissional”, frisou.

Yonny afirmou que a demora na retirada dos conteúdos causaria em danos maiores, afetando o ânimo psíquico e moral. Além de remover os links e dificultar a associação do nome dela ao caso de corrupção na busca de ferramentas do Google, solicitou que fosse aplicada multa diária no caso de descumprimento.

Pedido inclui sites do MPF e do TRE Roraima

Procurada, a defesa de Yonny Pedroso afirmou que a parlamentar “está tão somente exercendo seu direito de recorrer à Justiça como qualquer cidadão brasileiro”.

Ministério Público Federal informou que só se manifesta sobre atuação específica do órgão e se houver decisão judicial será acatada. Já o Tribunal Regional Eleitoral disse que não foi oficiado sobre o processo.

Crédito: este conteúdo é do Jornal Roraima em Tempo. Na edição foram alterados o título original e os intertítulos

Leia mais

Envie sua sugestão de pauta para o Blog

Digiqole ad

Comments

0 comments

Luiz Valério

http://luizvalerioblog.wordpress.com

Sou Luiz Valério. Cearense nascido em Juazeiro do Norte, Região do Cariri (CE). Tenho formação em Letras, curso Comunicação Social e atuo como professor e jornalista há 24 anos. Sou Pós-graduado em Comunicação Social, Assessoria de Imprensa e Novas Tecnologias. Atualmente faço uma Pós-graduação em Marketing Digital. Mantenho este blog há 16 anos.

Leia mais conteúdo

0 0 vote
Article Rating
Subscribe
Notify of
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments

Log In

Forgot password?

Forgot password?

Enter your account data and we will send you a link to reset your password.

Your password reset link appears to be invalid or expired.

Log in

Privacy Policy

Add to Collection

No Collections

Here you'll find all collections you've created before.

Está no ar o novo episódio do Podcast Direto ao Ponto - Bastidores do primeiro turno e as arrumações para o segundo em Boa VistaOUÇA NO SPOTIFY
+
0
Would love your thoughts, please comment.x
()
x